Nove dicas de como se tornar um ciclista melhor

Tempo de leitura: 11 minuto(s)

Desde que comecei a pedalar, sempre tive vontade de escrever alguns conselhos para quem vai iniciar nesse esporte.


Fiz uma seleção de nove dicas simples, inclusive com alguns com exemplos de situações que vivenciei ao longo desses meses em que a bicicleta passou a fazer parte da minha vida.

 

Não tenho a pretensão de ensinar técnicas que vão fazer a diferença no seu pedal, apesar de indicar quem possa lhe ajudar nisso. Esse artigo é muito mais para despertar nos leitores uma possibilidade de reflexão, especialmente com mudanças de hábitos, posturas, cuidados e dicas simples de serem implementadas.

 

Vamos às dicas:

 

1) Valorize suas QUALIDADES

Mesmo aqueles ciclistas que estão em início de “carreira” possuem suas qualidades. E quando falamos em qualidades, não são aquelas qualidades técnicas como ser um exímio sprinter ou fortíssimo para subidas, etc. Qualidade aqui são aquelas características que vão lhe valorizar diante dos seus parceiros, como por exemplo, ser solidário com um colega durante o pedal, ou mesmo, ser motivador de outros iniciantes.

E podem acreditar nisso, pois fiz muito mais amigos simplesmente pelo fato de, por exemplo, diminuir meu ritmo durante um pedal para poder incentivar um parceiro que estava iniciando e andava mais lento, do que dando um tiro em uma reta durante um treino de contra-relógio.

 

2) Tenha pensamentos POSITIVOS

Tenho uma característica pessoal que é sempre ser positivo, as vezes até demais. Essa característica me ajuda muito durante meus treinos, provas ou durante os pedais com os amigos, pois diante das adversidades (e no nosso esporte elas não são poucas), acredito que ser positivo atrai uma positividade que nos leva além da nossa capacidade.

Recentemente tive oportunidade de correr pela primeira vez em Congonha (MG) durante a Copa Internacional de MTB. Para quem já correi lá, sabe que o final da prova, ou a cereja do bolo é uma ladeira imensa de pedras que simplesmente suga todo nosso resto de energia. Creio que ser positivo me deu oportunidade de superar esse desafio que deixou muita gente boa para trás. Ao longo da subida via diversos ciclistas simplesmente desistindo de continuar pedalando e terminando a prova empurrando. Isso para mim não era opção e eu precisava me superar.

Ao iniciar a subida, mentalizei minha chegada e fui recebendo os incentivos da plateia que fica ao longo da ladeira como verdadeiras injeções de ânimo. Aquilo ia me abastecendo! Meu pensamento positivo me deu condições de superar a dor e a fadiga de mais de 40km de prova e terminei a etapa como eu havia mentalizado minutos atrás.

Por maior que seja sua adversidade, especialmente no ciclismo, seja positivo, acredite na sua capacidade e tente encarar tudo com bom humor. Vai por mim, funciona!

 

3) Crie projetos possíveis para o FUTURO

Praticamente todo ciclista que eu conheço tem seus projetos, planos e desejos para com o ciclismo. O problema é que muitas vezes esse desejo é distante demais da realidade da qual nos encontramos e é aí que mora o perigo!

Por várias e várias vezes já me peguei imaginando disputando uma Cape Epic na África do Sul, ou o Brasil Ride na Bahia ou mesmo um Tour de France e Giro de Itália. No meu caso e depois de vivenciar diversas situações no meu cotidiano fora do universo ciclístico, sempre ficou claro que esses sonhos são distantes das minhas condições, tanto financeiras e principalmente físicas.

Para evitar frustrações, sempre indico para todos os ciclistas que tenho oportunidade de conversar, que crie o hábito de fazer projetos possíveis de serem alcançados e com o passar do tempo e com o atingimento desses objetivos, refaça sua lista com novos projetos, sempre dando uma puxada para cima.

Uma boa dica, especialmente para quem está começando a participar de provas é evitar fazer planos de conquistas nos lugares mais altos do pódio logo nas primeiras disputas. Digo isso, porque já vi muita gente boa abandonar o esporte, porque havia planejado ficar entre os 5 melhores de sua categoria e não conseguiu.

Sugiro traçar metas mais plausíveis, como tentar fazer um tempo abaixo do esperado, ou andar acima da média que tem o costume de andar. Conseguindo isso, verá que continuará a criar pequenos estímulos para sempre ir além. E se por acaso conseguir um resultado muito acima do esperado, verá que isso vai lhe causar uma sensação extraordinária de bem-estar e de dever cumprido com louvor.

 

5) Cuidar de SI MESMO

Você tem todo o cuidado do mundo com sua parceira de pedal. Manutenção periódica, lubrificação em dia, apertos e ajustes em itens fundamentais, etc. Mas será que você tem tido o mesmo zelo com a peça principal dessa parceria fantástica? Qual foi a última vez que fez um check-up com um médico especialista? A sua saúde anda tão em dia quanto a manutenção em sua bicicleta?

Como todos nós bem sabemos, o ciclismo é um esporte fantástico para o condicionamento do nosso corpo, mas ele também exige bastante de nós. São várias horas fazendo um esforço contínuo em cima da bike, muitas vezes em condições desfavoráveis como de calor extremo, etc.

Costumo sempre dizer que o ciclismo para mim, precisa proporcionar prazer em primeiro lugar. E por mais que várias pessoas possam afirmar que para ele ser bom, necessariamente precisa ser sofrido, creio piamente que é preciso estar devidamente preparado para sofrer dentro do tolerável e sem colocar nossa saúde (e vida) em risco desnecessário.

Se ainda não o fez, sugiro procurar periodicamente um médico especialista para uma bateria de exames, bem como um educador físico para lhe orientar de maneira correta da prática do exercício e também um nutricionista para lhe prescrever uma dieta compatível com sua atividade física.

 

6) Cultive boas AMIZADES e evite relacionamentos DESTRUTIVOS

Se você não é um atleta profissional, que treina em cima de planilhas e em horários pouco “comerciais”, é bem provável que sinta muita necessidade em ter uma boa companhia para os pedais. Não há nada mais chato (e na minha opinião, perigoso) do que fazer um pedal sozinho, especialmente de mountain bike, onde muitas vezes estamos no meio do nada, sem qualquer tipo de comunicação em caso de um acidente.

Fora isso, é sempre bacana termos com quem dividir um bom papo, rir bastante das “capas” que a turma bate e principalmente, dividir a sensação de liberdade ao contemplar uma vista maravilhosa. Ter boas amizades no ciclismo significa tem um parceiro para pedalar, mesmo que tenha acabado de cair aquela chuva e ambos sabem que estará puro barro.

E tão importante quanto cultivar essas amizades é saber se distanciar de pessoas que tenho o hábito de chama-las de “tóxicas”, pois a sua função é simplesmente nos contaminar com seu pessimismo, sua maldade e suas palavras negativas. Um bom exercício para identificar esse tipo de pessoa é começar a prestar atenção aos comentários que ela faz sobre você. Normalmente são comentários sarcásticos que tem por objetivo, lhe deixar para baixo e desmerecer suas conquistas.

Em um dos seus vídeos, Brou Bruto Drews fala disso, especialmente quando lembra que “Procure ficar perto de pessoas que te elevem, que joguem seu astral para cima. Para falar mal da gente, está cheio de pessoas por aí”. Se por acaso encontrar com uma pessoa que tem essa péssima característica, fique longe dela!

 

7) Aprenda com os ERROS

Há um ditado bastante correto que diz: “Ninguém aprende pelo amor, somente pela dor” e talvez seja errando que conseguimos ter nossas maiores lições no ciclismo. Encare sempre seus erros com um olhar de aprendizado, como uma forma de tirar algo de bom daquela situação, para que ela não venha se repetir e lhe deixe mais consciente do que precisa ser feito da próxima vez para que tudo saia como esperado.

Em uma das últimas provas que participei e que havia treinado o ano todo com foco nela, cometi um erro grave com relação a minha alimentação nos dias anteriores a prova. Meu rendimento caiu absurdamente durante a corrida, o que me deixou bastante frustrado.

Passadas algumas horas do término da prova, comecei a me questionar o que havia saído errado naquela situação, para que eu não repetisse o mesmo erro na próxima vez. Já na corrida seguinte, cuidei mais da minha alimentação pré-prova, seguindo as orientações do meu treinador, nutricionista e aí sim, saiu tudo como o planejado e consegui finalizar abaixo do tempo que havia estipulado.

Se você já viveu uma situação, especialmente no ciclismo, que lhe deixou completamente desapontado, faça esse exercício de reflexão e procure formas de corrigir o que estava errado. Esse é um exercício constante que vale a pena ser colocado em prática diariamente.

 

8) Se for competir, procure um ESPECIALISTA

Digamos que você já está pedalando bem e tem desejo de começar a competir, o que particularmente eu acho fantástico. Nesse universo esportivo, fiz muito amigos e conheci lugares incríveis. E já que esse é o caminho natural de muitos dos que iniciaram no ciclismo, reforço a dica de ter um especialista ao seu lado, lhe orientando da maneira correta de treinar e preparando treinamentos específicos para aumentar seu rendimento.

Até o início de 2015 eu treinava por minha conta, fazendo o que achava que estava me dando resultado, até que eu fui extremamente mal em uma prova na cidade de Onça do Pitangui (MG). Ficou claro para mim que sem a ajuda de um especialista, minha evolução seria muito pequena e corria o risco até de abandonar o esporte.

Daquela prova em diante procurei um treinador com vasta experiência no ciclismo e foi aí que comecei a perceber uma melhora significativa na minha forma de pedalar, na minha maneira de encarar uma competição e levei a coisa mais a sério. Isso foi fundamental para continuar mantendo acesa a paixão pelo mountain bike.

 

9) VÁ PEDALAR!

Talvez seja um dos conselhos mais óbvios que eu possa dar, mas muita gente se esquece disso. Na minha formação acadêmica, todos meus professores foram unânimes em dizer que jornalista que escrevia bem era jornalista que lia muito. No ciclismo acho que a máxima também tem o seu lugar e de todos os bons atletas que eu conheço, todos exercem esse hábito de pedalar várias vezes ao longo da semana.

E aí não tem jeito. Se quer melhorar o seu nível de pedalada, precisa pedalar! Não tem como progredir sem praticar exaustivamente aquilo que deseja evoluir.